Como elaborar um CV

O que é um CV?

Um currículo (curriculum vitae) funciona como um cartão de visita para os futuros empregadores já que resume a formação académica, a experiência profissional, competências e outras atividades relevantes.

Este é um dos documentos mais importantes quando se está num processo de procura ativa de emprego já que, causando impacto, pode abrir as portas para uma entrevista de emprego.

 

Que informação deve constar num CV?

Detalhes de contato - nome completo, residência, data de nascimento, estado civil, contacto telefónico e endereço de e-mail.

Formação – Habilitações Literárias (com data de conclusão, classificação obtida), formação contínua e profissional, participação em conferências e conhecimentos de línguas e informática.

Experiência profissional: descrição resumida da experiência profissional anterior (com indicação do período temporal), funções desempenhadas e estágios realizados.

Atividades extra-profissionais: atividades de tempos livres relevantes (associativas, voluntariado, sindicais, índole social, etc).

Interesses – Quando relevante para o trabalho, os interesses individuais podem fornecer uma imagem mais global do candidato e transmitir outras competências que este possui.

 

Formato CV

Evitar tipos de letra como o Comic Sans. Em vez disso, escolha algo mais profissional, como tamanho-10 Arial.

Listar tudo em ordem cronológica inversa para que o recrutador veja as habilitações e experiência mais recentes primeiro.

Criar um CV fácil de ler usando espaçamentos e listagens. Este tipo de layout de CV permite que os empregadores identifiquem rapidamente as informações importantes.

Utilizar papel A4 branco. Imprimir apenas de um lado e não dobrar o CV.

Evitar os CVs demasiados extensos. Uma página deverá ser suficiente, mas pode chegar até às três páginas.

Não incluir outros documentos no CV. Estes deverão ser exibidos na entrevista.

O CV deve ser acompanhado por uma Carta de Apresentação. Esta permite chamar a atenção para uma parte específica do CV ou esclarecer lacunas no histórico de trabalho.

 

Como escrever um CV

Usar verbos ativos, sempre que possível. Utilizar um vocabulário objetivo e simples.

Não deve haver erros de ortografia ou gramática. Usar um corretor ortográfico.

Verificar o site da empresa, para garantir que o CV se adequa ao lugar e ao empregador.

Não mentir ou exagerar no CV ou no emprego.

 

Quando usar um CV?

Resposta a anúncio

Candidatura espontânea

Candidatura a um lugar na própria entidade empregadora

Durante uma entrevista

 

Tipos de CV mais usados

Europass: conhecido como CV Europeu, foi criado pela União Europeia e possibilita a criação de um CV através do preenchimento dos formulários disponibilizados. Este tipo de CV é o mais generalizado nacional e internacionalmente. Permite apresentar dados como: informações pessoais, emprego/cargo pretendido, experiência profissional, formação académica, aptidões e competências pessoais, conhecimentos linguísticos, informações adicionais e/ou anexos.

Curriculum funcional: destaca a experiência profissional e as competências daí obtidas. Ideal para quem esteja ainda em início de carreira, já que permite construir um CV com pouco ou nenhuma experiência profissional pois dá ênfase a experiências de voluntariado ou estágios de curta duração, por exemplo. A organização da informação faz-se por temas ou blocos, sendo em cada um dos tópicos listadas as funções desempenhadas e as metas alcançadas. São dadas a conhecer as competências ou valor acrescido que o candidato pode dar à empresa. A “grande” desvantagem deste modelo está relacionada com o facto de ser bastante extenso e poder ser “cansativo” para o recrutador. 

 Curriculum cronológico: dispõe a informações por ordem cronológica. Trata-se de um modelo simples e conciso, que permite ao recrutador fazer uma leitura fácil e rápida do CV e perfil do candidato. São dois os tipos de CV Cronológico:

  • CV cronológico direto: a organização da informação inicia-se com a informação mais antiga e termina com a mais recente.
  • CV cronológico inverso: a informação dispõe-se, geralmente, com início na experiência ou formação mais atual e termina com a mais antiga.

Como neste modelo as datas são detalhadas, isto pode afetar negativamente a sua imagem enquanto profissional.

Curriculum por objetivos:  caracteriza-se por ser um modelo flexível e ajustável a diferentes candidaturas. Destaca-se a experiência profissional do candidato, sendo possível salientar os dados/informações mais relevantes para cada oferta/perfil.

Misto: combinação entre o modelo cronológico e o modelo funcional, integrando num só documento o rigor do modelo cronológico e a flexibilidade do modelo funcional.  Permite apresentar a informação de forma organizada e destacar a experiência profissional e as competências do candidato.

Por competências: as empresas valorizam as “hard skills” (competências técnicas) e as “soft skills” (competências sociais e humanas). Este modelo de CV, baseado nas competências, destaca de que forma foi adquirida determinada competência. Estes tipos de CV são muito complexos de elaborar pois não basta dizer que tem uma competência, é preciso justificá-la. Deve ser feito de formas original e criativa.

Criativo: muito utilizado por áreas mais tecnológicas e artísticas, este CV coloca a informação de forma mais conceptual e aleatória. Pode, por exemplo, ser uma história onde se vai colocando a informação, ou pode mesmo ser uma banda desenhada. Este tipo de documento não pode ser entregue em qualquer empresa.

Curriculum em vídeo:  as pessoas que se sentem à vontade em frente a uma câmara devem apostar neste tipo de CV. O candidato deve apresentar-se o melhor que conseguir.

 

Alguns modelos e ferramentas:

Europass

CV tradicional

CV Académico

Cvmaker

Pdfcv

Microsoft Office

Google Docs

Hloom

Livecareer

Siga-nos